Em Assembleia, trabalhadores da SSU definem luta contra retirada de direitos

GCM Base CentroÀs 6h da manhã desta quarta-feira, 2 de maio, o SINDSERV realizou Assembleia na Secretaria de Segurança Urbana, onde GCMs e Vigilantes definiram posicionamento de ampliar a luta contra a retirada de direitos, especialmente em relação ao fim das folgas quinzenais. Os trabalhadores e trabalhadoras também decidiram manter estado de Assembleia Permanente, até que a situação seja resolvida.

A folga quinzenal é uma conquista da categoria, que em sua maioria cumpre a jornada 12 x 36 horas. No caso dos GCMs, o direito vale desde 2015. Já os Vigilantes, tinham a folga quinzenal garantida há mais de 22 anos!

Para o SINDSERV, a manutenção desse direito é fundamental, inclusive no processo de garantia das condições de trabalho e saúde desses servidores: "Muitos desses trabalhadores só têm essa folga quinzenal para um verdadeiro descanso e para momentos de lazer com suas famílias. Em funções estressantes, como as desempenhadas por eles, estes momentos são imprescindíveis na prevenção de afastamentos por doenças. Não perceber isso é um grave equívoco da Administração".

TRABALHADORES PEDEM DIÁLOGO, MAS SESSÃO DA CÂMARA É ENCERRADA

Logo após a Assembleia, GCMs e Vigilantes caminharam até a Câmara e aproveitaram para dialogar com a população sobre mais essa perda para a categoria.

O Diretor de Assuntos Jurídicos da entidade, GCM Célio Vieira, apresentou a reivindicação da categoria na Tribuna Popular da Câmara, mas seus apelos foram ignorados pelo presidente, que encerrou a Sessão sem nenhuma resposta concreta aos trabalhadores: "Fomos à Câmara mostrar que a falta de diálogo entre Executivo, Legislativo e Sindicato tem trazido prejuízo aos servidores. Esse caso das folgas, por exemplo, poderia ter sido debatido com mais tempo e tranquilidade, evitando tantos desgastes ao próprio governo. Infelizmente, mesmo fazendo um apelo ao diálogo, a bancada de sustentação preferiu nos responder com o encerramento da Sessão", concluiu Célio.

O SINDSERV vai continuar cobrando o restabelecimento dos canais de diálogo e os trabalhadores da SSU não vão arredar o pé da luta por suas reivindicações.

 

Panfleto distribuído a partir do dia 3 de maio:

Pesquise