Reforma Trabalhista entra em vigor e direitos já começam a ser retirados na GCM

gcm lobo em pele de cordeiroEsta semana, caiu a liminar que impedia a aplicação total da reforma proposta pelos grandes capitalistas, apoiada pelo governo ilegítimo de Temer e aprovada pelos deputados e senadores, que desmontou os direitos trabalhistas. O governo municipal não tardou em iniciar sua aplicação, sendo coerente com o apoio dos partidos que compõem sua base ao processo de desmonte dos direitos do povo.

O primeiro ato é a desregulamentação da jornada 12 x 36, objeto de intensa luta dos GCMs e de acordo entre o Sindicato e a Administração passada, que havia garantido, por exemplo, as folgas quinzenais.

Em relação à nova Administração, desde 2017 temos tentado firmar ACORDO COLETIVO para garantir a manutenção de direitos, inclusive com a intermediação do Ministério Público do Trabalho. Este acordo sempre foi negado pelo governo municipal pois, segundo o secretário de Segurança Urbana, o que já estava garantido não seria alterado pela Administração. "Não vamos mexer nisso", afirmou em reunião. Lamentavelmente, em prejuízo da categoria, mais uma vez a palavra dada pelos gestores não é cumprida, e as folgas quinzenais foram canceladas.

O diretor de Assuntos Jurídicos, GCM Célio Vieira, explica que a posição do nosso Sindicato é de continuar na luta para que as conquistas judiciais e demais acordos firmados, que garantiram direitos aos trabalhadores, sejam mantidos na íntegra: "A proposta defendida pelo SINDSERV é pela manutenção das folgas quinzenais, o horário de almoço intrajornada, e o recebimento de 100% nos feriados".

REFORMA ADMINISTRATIVA, MUDANÇA DE REGIME... UM GRANDE CAVALO DE TRÓIA.

Os reflexos da falta de diálogo com o Sindicato e a categoria começam a ser percebidos, após a euforia da mudança de regime de CLT para Estatutário. Por exemplo, os trabalhadores que usam o vale-transporte com valor maior que R$ 88,00 por mês, terão perdas.

"Como se não bastasse tudo isso, agora o comando da GCM, que sempre foi contra a folga quinzenal, joga de vez a pá de cal sobre os GCMs, acabando com esse benefício. Benefício sim, não trata de concessão como quiseram chamar. Todos sabemos que muitos GCMs, devido ter que complementar a renda, somente descansam na folga quinzenal e, mesmo assim querem acabar. Tem gente que não deve, sequer, imaginar o quanto o trabalho de rua é estressante e o quanto o GCM precisa dessa folga para ter um lazer com a família", afirma Célio Vieira.

GAROTOS DE RECADO

Como não tem condições de "passar um pano" pessoalmente para a falta de palavra do secretário e para o desrespeito da Administração, o Comando manda recadinhos através de seus "meninos de confiança". É vergonhoso que companheiros de farda se submetam a esse tipo de peleguismo!

Uma da mensagens de um dos "garotos de recado" afirma que o SINDSERV orientou a categoria a não assinar a rescisão. MENTIRA! Desafiamos qualquer um a provar que o Sindicato tenha orientado dessa forma.

Ao contrário deles, nós temos como provar, através de nosso site, do SINDSERV Jornal, de ofícios e da presença na base que buscamos o diálogo e lutamos pela construção de um Acordo Coletivo, o que sempre foi negado pelo Comando da GCM.

O SINDSERV já solicitou audiência à SSU, quando vai cobrar que a palavra dada pelo Secretário, que garantiu que os direitos conquistados pelo Sindicato não seriam retirados, seja mantida, além de reafirmar a necessidade de formalização de Acordo Coletivo com este compromisso.

Não caia no conto dos "garotos de recado". Relembre como foi nossa luta:

Pesquise