GCM: SINDSERV recebe denúncia de possível Assédio Moral na Inspetoria do Rudge Ramos

Trabalhadores reclamam que Supervisor dá "canetadas" sem necessidades

A situação não está fácil para os GCMs da Inspetoria do Rudge Ramos, eles não toleram mais a situação precária do Posto, pois falta água, luz e limpeza. Há algum tempo também sofrem com o Assédio Moral, praticado por parte de Superiores Hierárquicos.

Segundo informações de uma GCM, já foi realizada uma reunião com o Inspetor que não tomou nenhuma providência. "As coisas ficaram piores depois da reunião, a perseguição do Supervisor é com todos que são subordinados a ele, claro que com alguns a marcação é bem mais forte", afirma a Guarda.

"Faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço"

Situações como compra de refeição, troca de horário de refeição, que não comprometem em nada o desempenho do serviço, são motivos para "canetadas" e ameaças. "Voltamos ao tempo da ditadura? Com este Supervisor não tem diálogo. Somos vigiados o tempo todo, ele não confia em seus subordinados. Temos que ir na folga, ou seja, fora do horário de serviço para levar e retirar folha de frequência, pois nem o Supervisor e nem o Inspetor autorizam que estas sejam entregues no local de trabalho", conta a GCM.

"É lamentável que uma situação como essa seja novamente relatada, foi justamente contra isso que lutamos e que fizemos 32 dias de greve. Temos que colocar em prática a lei contra o Assédio Moral que conquistamos." afirma Giovani Chagas, presidente do SINDSERV.

Ficar sozinho em alguns postos de serviços já virou rotina e, muitas vezes, sem apoio até para fazer a refeição. "Os novos GCMs são mudados de posto e de horário frequentemente. Não existe respeito ao profissional. Isto é uma vergonha, temos que denunciar para que não continue", finaliza a trabalhadora.

O SINDSERV pede que, todos os funcionários que sofrem Assédio Moral, denunciem. Assédio Moral é crime!

Leia aqui a matéria da vitória do SINDSERV, em 2013, da aprovação da lei contra o Assédio Moral.

Pesquise