A PF indicia e pede o afastamento de Orlando Morando do cargo

'Uma rede criminosa de lucro decorrente do desvio de recursos públicos', aponta o relatório. A PF pede o afastamento de Orlando Morando do cargo

A Polícia Federal indiciou o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), e mais 15 pessoas por corrupção passiva e fraude em licitações, segundo informou a rádio CBN.

A Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros aponta que o Prefeito usou a Fundação ABC, que presta serviços de saúde em São Bernardo do Campo, para acomodar empresas de alimentação em cinco contratos que somam R$ 37 milhões.

O Prefeito já vinha sendo investigado pela Polícia Federal nas operações Prato Feito e Trato Feito, que apresentaram provas de um propinoduto na região metropolitana de São Paulo, especialmente em Mauá, onde a propina era distribuída por vereadores e no primeiro escalão, para manter contratos de empresas com a prefeitura sem contestações.

As provas colhidas foram desdobradas por áreas e a investigação relativa à São Bernardo concluiu que Morando nomeou para presidir a Fundação ABC um dos membros dessa organização criminosa. Depois, o presidente escolhido pelo Prefeito contratou a empresa de alimentação do próprio genro para prestar serviços nos hospitais administrados pela Fundação, que é comandada pelas três prefeituras do ABC paulista.

Essa não é a primeira denúncia que liga o Prefeito à rede de corrupção envolvendo a Fundação ABC, já estamos denunciado desmando e articulações escusas, nepotismo e improbidades.

O Sindserv reitera o repúdio a toda e qualquer conduta criminosa por parte do Prefeito, e por isso mantêm as ações legais, que visam a defesa dos interesses dos servidores e munícipes.

Pesquise