Servidores da Assistência Social criticam a prefeitura por exclusão em medidas protetivas durante a pandemia

Servidores que atuam nos serviços de assistência social de São Bernardo publicaram documento em repúdio à prefeitura de São Bernardo. Na carta aberta dos trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), os servidores criticam o governo do prefeito Orlando Morando por deixa-los de fora de modalidades flexíveis e protetivas durante a pandemia. A categoria cita a resolução interna nº 13/2020, que vai na contramão da Secretaria Nacional de Assistência, que recomenda adoção de regime de jornada em turnos de revezamento, permissão de trabalho remoto, entre outros.

“Os esforços da Assistência Social, assim como a Saúde e a Educação o fizeram em todo o país, deveria ser de reorganizar sua atuação, concentrando esforços nas situações prioritárias, evitando convidar a população a sair de casa. A utilização da estrutura de OSCs conveniadas, contratação de pessoal em contingente adequado suprir a demanda de tarefas operacionais (como a cessão de benefícios eventuais), além de garantir que o trabalho fosse operado sempre que possível em esquema de revezamento e/ou “home office”, de modo a diluir a concentração de trabalhadoras/es e usuárias/os, garantindo o afastamento social”, aponta o documento.

A denúncia dos servidores ainda aponta a falta de avaliação dos espaços de trabalho para o distanciamento seguro dos servidores, além da utilização improvisada de EPIs (equipamentos de proteção individual), segundo os trabalhadores, ainda insuficientes para todos os funcionários da secretaria. O material também questiona a necessidade de testagem dos servidores para a identificação ou não do COVID-19.

Outro ponto abordado remete à bonificação salarial apresentada pela prefeitura no auge da crise ocasionada pelo COVID-19. Na bonificação, foram contemplados servidores que atuam nos serviços de Saúde do município. Entretanto, quem está atuando nos serviços municipais de Assistência Social ficou de fora.

Vale ressaltar que a estrutura de atendimento social de São Bernardo vem sendo desmontada pelo atual governo. Parte da estrutura física do setor (complexo de assistência social) foi desmontada para a criação do Centro de Operações Integradas (COI), no Centro.

Carta Aberta do SUAS 

Pesquise